Eine Reise wert | Vale a pena conhecer: FLORIANÓPOLIS

Heute will ich euch eine wunderschöne Stadt aus dem Süden Brasiliens vorstellen: Florianópolis, die Hauptstadt vom Bundesland Santa Catarina und liebevoll Floripa genannt. Die Stadt hat ca. 400.000 Einwohner und Einiges zu bieten: 97% der Gesamtfläche liegen auf einer Insel und die Stadt wird von ca. 100 Stränden umgeben, wobei 46% des Stadtgebiets unter Naturschutz stehen. Darüber hinaus gehört Florianópolis zu den Städten mit der besten Lebensqualität in Brasilien…

Mittlerweile ist die Stadt auch unter deutschen Studenten sehr beliebt. Und das hat damit zu tun, dass manche Universitäten aus Deutschland (wie beispielsweise die RWTH Aachen) eine Partnerschaft mit der Bundesuniversität in Florianópolis haben – der Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)-, die im Bereich der Ingenieurwissenschaften sehr renommiert ist. Ich persönlich finde Florianópolis eine sehr schöne Alternative zu Rio, wenn man einen Semesteraustausch in Brasilien plant: Die Stadt ist klein, hat aber Charme, viele Strände, jede Menge Sportmöglichkeiten im Freien, nicht allzu hohe Temperaturen und eben die sehr gute Uni. Was will man also mehr?

Nur was ihren Dialekt angeht, bin ich als Portugiesisch-Dozentin der Stadt gegenüber etwas skeptisch: Dort hat man die Gewohnheit das Personalpronomen tu statt das você zu verwenden. Somit hört man oft Sätze wie Tu fala português muito bem. Überall da, wo ein –s bei der Verbkonjugation eigentlich hingehört, wird das weggelassen. Meine Botschaft an alle Portugiesischlerner da draußen ist: Geht nach Florianópolis, genießt die Stadt, die gute Uni, sprecht viiiiiiiiiel Portugiesisch, aber übernehmt bitte nicht (!!!) die falsche Konjugation der Verben :-)

Als Highlight dieses Artikels folgt unten im portugiesischsprachigen Teil ein kleines Interview mit einer Brasilianerin, die aus Florianópolis kommt, an der UFSC studiert hat und zur Zeit in Deutschland wohnt… Sie gibt darin Tipps, was man sich in ihrer Heimatstadt unbedingt anschauen sollte, welche die typischen Gerichte der Stadt sind und was sie am meisten vermisst…

In diesem Sinne: Gute Lektüre! Über einen kleinen Kommentar am Ende des Artikels würde ich mich freuen!

Beijos,

Rode


O artigo de hoje é sobre Florianópolis! Uma cidade linda e muito popular entre os universitários alemães, já que muitas universidades daqui – por exemplo a Universidade Técnica de Aachen (RWTH) – mantêm convênio com  a UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

Eu tive a oportunidade de conhecer a cidade em 2012 e o privilégio de ter duas florianopolitanas legítimas como guias turísticas :-) …  Seguem algumas fotos que tirei quando estive lá. Espero poder voltar em breve!

Abaixo vocês podem ler também uma entrevista que fiz com a querida Nad, uma das minhas guias turísticas em 2012… Ela agora mora em Munique, aqui na Alemanha, e conta do que mais sente falta da ilha, quais são os pontos turísticos da cidade dos quais ela mais gosta e dá dicas também pra quem quer ir fazer um intercâmbio lá. Obrigada, Nad, pela sua ajuda!

Entrevista:

1. Como os moradores de Floripa são chamados?

Nad: Os moradores de Floripa são chamados oficialmente de „florianopolitanos“ e carinhosamente  de „manezinhos da ilha“.

2. Que lugar(es) da cidade você acha que todo turista deveria visitar?

Nad: A cidade toda!!!hehe. Pontos principais:

Sul da Ilha – Campeche, Mirante do Morro do Convento, Armação, Trilha da Lagoinha de Leste, Lagoa do Peri, Pântano do Sul, Ribeirão da Ilha (que foi o primeiro vilarejo de Florianópolis), Ilha do Campeche.

Norte: – Jurerê Internacional, Santinho, Praia Brava, Santo Antônio de Lisboa.

Leste – Lagoa da Conceição, Praia Mole, Joaquina, Mirante da Mole.

Centro – O centro histórico: Praça XV de Novembro, Catedral Metropolitana, Calçadão da Rua Felipe Schmidt, Ponte Hercílio luz, Mirante do Morro da Cruz…

3. Existe algum prato típico da cidade?

Nad: Muitos! Principalmente os pratos feitos com frutos do mar: berbigão [alemão: „essbare Herzmuschel“], ostras, camarão, tainha [alemão: Meeräsche], anchova [alemão: “Sardellen”]… Isso tudo acompanhado por pirão de peixe, arroz e farofa!

4. Qual é a melhor praia de Floripa, na sua opinião? Por quê?

Nad: Floripa tem 42 praias, então é difícil dizer qual é a melhor. Elas são diferentes e agradam a todos os gostos. Tem praia pra quem curte surf, pra quem tem filhos pequenos, pra quem gosta de ficar isolado do meio urbano, pra quem curte agitos, etc. Eu acho que você tem que conhecer todas e se apaixonar por uma! haha. Eu, particularmente, sou apaixonada pela Armação do Pântano do Sul. É uma praia linda, tranquila, e os moradores são muito simpáticos e amigáveis. As ondas geralmente não são muito grandes, então você não precisa ter medo de entrar no mar. Entretanto, há uma comunicação com o Matadeiro, que é uma praia de surf. Entre as duas praias existe uma pequena península, lindíssima, onde se forma uma piscina natural. Os barcos dos pescadores dão um tom especial à praia. De lá saem os barcos para a Ilha do Campeche e a uma das trilhas que leva à Lagoinha de Leste.

5. Você conhece a UFSC e tem alguma dica para dar para os alunos universitários alemães que estão indo fazer um intercâmbio lá?

Nad: Sim, conheço muito bem! Passei a minha infância por lá, pois meu pai treinava Atletismo no Campus da UFSC, e depois estudei Educação Física [alemão: Sport] por 4 anos na mesma instituição. A UFSC é conhecida pela qualidade do ensino que oferece e está entre as melhores universidades do Brasil. Ela trabalha com três linhas principais: ensino, pesquisa e extensão. Eu acredito que para se obter uma boa formação, é importante passar por estas três áreas e a Universidade oferece muitas oportunidades para isto. Então minha dica é: envolva-se, faça parte!!! Não apenas assista às aulas, mas procure conhecer todas as coisas boas que a UFSC está produzindo em termos de conhecimento.

6. Do que você mais sente falta de Floripa morando aqui na Alemanha?

Nad: Eu sinto falta de absolutamente TUDO. Hehe. Um traço interessante de quando você mora/nasce em Florianópolis, é que você não vê a cidade como apenas „o lugar onde eu moro“. Florianópolis é como um membro da família, como uma parte de você. Eu me lembro de Floripa como se ela fosse uma pessoa de quem eu sinto muitas saudades. Ela é linda, tem uma natureza maravilhosa, um povo acolhedor que fala „cantando“ e com um sotaque bem diferente, um clima muito gostoso, comida deliciosa, muitas histórias, uma cultura diferenciada e uma atmosfera que te deixa feliz simplesmente por você estar lá. Quando vocês voltarem do intercâmbio,  vocês irão entender exatamente o que eu estou dizendo…

2 Kommentare

  1. Floripa é tudo isso e muito mais. Eu passo tudo dia pela Beiramar e é so fazer a curva embaixo da ponte velha e dar de cara com “ a vista“ que o sorriso saí sozinho dos meus lábios.
    Bj
    Marjorie.

Schreibe einen Kommentar

Pflichtfelder sind mit * markiert.